Patrício Prazeres, faleceu faz hoje 94 anos

 

Patrício Prazeres, é, também, o nome de uma Escola de Lisboa. Muitos portugueses terão estudado nesta Escola e, provavelmente, não saberão quem foi o “Patrono” da Escola.

Aqui ficam alguns dados biográficos de Patrício Prazeres.

 

Patrício PrazeresAugusto PATRÍCIO dos PRAZERES, Professor, natural da Freguesia da Madalena (Lisboa), nasceu a 17-03-1859, e faleceu a 17-03-1922. Era filho de Joaquim José dos Prazeres e de Augusta dos Anjos Prazeres, contraiu matrimónio com Custódia Pequito, irmã do Deputado e Ministro Rodrigo Afonso Pequito.

Formou-se no Instituto Industrial e Comercial de Lisboa, onde teve como mestres Luís Feliciano Marrecas Ferreira e o seu futuro cunhado Rodrigo da Fonseca Pequito. Foi Professor Catedrático no Instituto onde se formou, carreira que prosseguiu no Instituto Superior de Comércio. Foi também Professor auxiliar na Escola Industrial Rodrigues Sampaio, de que veio a ser Lente efectivo (desde 05-07-1902) e Director da Escola Elementar de Comércio (1894).

Esteve ligado a diversas casas comerciais e particulares, nomeadamente à Caixa Geral de Depósitos e à gerência da Casa Condessa de Cuba, tendo sido também Director da Companhia de Crédito Edificadora, fundador e Director do Banco Nacional Agrícola, Administrador da Casa Caldas Machado, membro do Conselho Fiscal da Empresa Cerâmica Aurora e Director durante 13 anos da Câmara de Comércio de Lisboa.

Foi um dos Sindicantes da Companhia Geral do Crédito Predial Português no conturbado processo vivido em 1910 e veio a ser Vice-Governador da instituição ainda no final desse ano (12-12-1910).

A Patrício Prazeres se deve a organização da fiscalização da indústria de seguros, vindo a ser Vogal do Conselho de Seguros.

Foi sócio da Sociedade de Geografia de Lisboa e vogal da respectiva comissão de contas.

Na vida política esteve ligado ao Partido Regenerador e mais tarde apoiou João Franco e o Partido Regenerador-Liberal. Durante o consulado franquista exerceu funções de Secretário particular do Ministro da Fazenda, Martins de Carvalho (1907-1908).

Foi eleito Deputado em duas Legislaturas, primeiro em 1900, em representação do círculo plurinominal de Valença, e mais tarde, em Agosto de 1906, pelo círculo plurinominal de Viseu. Fez parte das Comissões Parlamentares de Petições (1901), de que foi Secretário, da Fazenda (1906 e 1907) e do Orçamento (1906). Personalidade conservadora e católico praticante, permaneceu fiel ao ideário monárquico e foi pessoa dedicada a D. Manuel II, integrando o Conselho da Casa de Bragança.

Em 1930, o seu nome foi atribuído à Escola Comercial Feminina.

Fonte: “Dicionário Biográfico Parlamentar, 1834-1910”, (Vol III, de N-Z), Coordenação de Maria Filomena Mónica, Edição da Assembleia da Repúblicas, Colecção Parlamento” (Pág. 379 e 380).

Anúncios

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: