Frederico de Brito e o Fado

 

No dia em que faz 39 anos sobre a morte de Frederico de Brito, vamos lembrar aqui quem foi Frederico de Brito.

Todos nós, gostemos ou não de Fado, já ouvimos o Fadista Carlos do Carmo cantas “Canoas do Tejo”, o que poucos saberão é que esse bonito fado é da autoria (letra e música) de Frederico de Brito.

 

Carnaxide 0147Joaquim FREDERICO DE BRITO, Poeta Popular e Músico, nasceu na Freguesia de Carnaxide (Oeiras), a 15-09-1894, e faleceu em Lisboa, a 24-03-1977, ficou conhecido com o diminutivo de Britinho. Muito cedo começou a versejar e de tal sorte, que na Escola Primária já tinha a alcunha de “O Poeta”, de que o pequeno Joaquim não gostava por pensar tal ser ofensivo. E isso fez com ele se retraísse perante os colegas e só em casa lesse os seus versos à Mãe e ao irmão, que constituíam o seu único público. Só aos 14 anos Frederico de Brito começou a compreender que tal alcunha não era afinal tão ofensiva como julgara. Mas depois sucede o imprevisto. Ele que perdera a tibieza de passar por poeta, encontra o obstáculo de não acreditaram ser ele o autor dos seu próprios versos. Então, só encontrou uma saída para que o escutassem: dizer que os versos que cantava de “improviso” eram previamente feitos por um amigo dele que morava na sua rua e se chamava Frederico de Brito. E, certo dia, glosou de improviso os motes que foram propostos, com tal destreza e perfeição que no final e já à porta do Pátio do Martelo, o outro improvisador, Quintinha Bombeiro, pediu-lhe para apresentar ao seu amigo os parabéns e para lhe marcar um encontro. Estava ganha a primeira batalha. Desde aí nunca mais parou de fazer versos. Uns seriam posteriormente musicados, gravados e muitos deles premiados, outros iriam constituir o conteúdo de dois livros “Musa ao Volante” e “Terra Brava”. Frederico de Brito foi, ao longo da sua vida, além de poeta popular e compositor, chauffeur, motorista e táxi e, quando se reformou, empregado da companhia petrolífera Atlantic.

O seu nome faz parte da Toponímia de: Almada (Freguesia da Sobreda); Lisboa (Freguesia de Santa Clara, Edital de 16-09-2009); Moita (Freguesia de Alhos Vedros); Oeiras (Freguesia de Carnaxide).

Fonte: “Enciclopédia da Música em Portugal no Século XX” (Direcção de Salwa Castelo-Branco, 1º Volume, A-C, Temas e Debates, Círculo de Leitores, 1ª Edição, Janeiro de 2010, Pág. 185)

Anúncios

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: