Comemora-se este ano a entrada de Portugal na I Grande Guerra

 

Abel Hipólito, na Toponímia de Viseu, por proposta minha (43)

 

Abel HipólitoABEL HIPÓLITO, Militar, nasceu em Viseu, a 13-02-1860, e faleceu em Sintra, a 12-10-1929. Era filho de José Maria do Amaral Hipólito e de Antónia Emília Ferreira, ambos naturais de Viseu. Assentou praça no Regimento de Infantaria nº 14, em 03 de Agosto de 1877. Serviu como Soldado, nesta Unidade, até ser promovido a Alferes-Aluno, em 15 de Julho de 1880. Frequentou na Escola Politécnica, o Curso Preparatório para a Arma de Artilharia, passando ao Regimento nº 1 daquela Arma, em 21 de Agosto, tendo procedido à matrícula na Escola do Exército, em 18 de Novembro do mesmo ano. Em 18 de Janeiro de 1883, foi promovido a Alferes, após ter concluído o Curso da Arma de Artilharia. Com a promoção a Tenente, em 28 de Janeiro de 1885, passou a servir, como Ajudante, na Brigada de Artilharia de Montanha, seguindo para o Regimento de Artilharia nº 2, em 27 de Julho do ano seguinte. Em 30 de Junho de 1891, foi promovido a Capitão para o Regimento de Artilharia de Montanha, onde exerceu as funções de Director da Escola Regimental, até 12 de Fevereiro de 1894, marchando, nesta data, para o Regimento de Artilharia nº 2. Durante o ano lectivo de 1898/1899, frequentou com aproveitamento o Curso Prático de Tiro para o seu posto. Entre 1904 e 1908, desempenhou, de novo, as funções de Director da Escola Regimental, em diferentes períodos. Em 06 de Maio de 1909, foi promovido a Major para o Grupo de Artilharia de Montanha, em 30 de Junho de 1911, a Tenente-Coronel para o Regimento de Artilharia nº 8 e, em 14 de Junho de 1913, a Coronel para a mesma Unidade.

Em 1914, foi Instrutor do 3º grau da Escola Central de Oficiais, funções que deixou, para integrar o (C.E.P.) Corpo Expedicionário Português. Sufocou a revolta de 13-12-1916, chefiado por Machado Santos, que aprisionou, e derrubou em 1919 a Monarquia do Norte.

Embarcou para França, em 29 de Dezembro de 1916, onde foi graduado em General, em 24 de Setembro de 1917. De regresso ao País, em 07 de Fevereiro de 1918, veio a ser promovido a General, por distinção, em 24 de Abril do ano seguinte. Comandou a 1ª Divisão do Exército, que deixou, em 07 de Junho, para exercer o cargo de Comandante da Escola Militar. Foi Presidente da Comissão encarregada de elaborar um relatório sobre a forma de recompensar os militares que se distinguiram nas acções contra a facção monárquica do Norte do País, que ocorreram em Janeiro e Fevereiro do mesmo ano. Em 07 de Novembro, como Vice-Presidente, tomou parte na Comissão de organização do Exército, tendo também participado, em 13 de Janeiro de 1920, como Vogal, na Comissão destinada a constituir o conselho da Ordem de Torre e Espada. De 23 de Maio a 30 de Agosto de 1921, exerceu o cargo de Ministro do Interior. Chefiou a Guarda Nacional Republicana (1921), a 1ª Divisão do Exército e a Escola de Guerra até ao movimento revolucionário de 1927. Filiado na facção liberal nacionalista, recusou-se a formar governo em 1920. Em 30 de Setembro, presidiu à Comissão destinada a angariar fundos para a construção de um monumento “À Memória dos Portugueses Mortos na Grande Guerra”, sendo nomeado, no mês seguinte, Vogal do Conselho Superior de Promoções. Em 23 de Dezembro do ano seguinte, foi, também, Presidente da Comissão encarregada de estudar e propor as alterações convenientes à remodelação da Escola Central de Sargentos. Em 23 de Agosto, foi nomeado Vogal do Conselho Superior de Promoções, que deixou de desempenhar, em 28 de Janeiro do ano seguinte, passando, nesta data, à reserva, por ter atingido o limite de idade. A partir de 27 de Outubro de 1928, presidiu à Comissão encarregada de proceder aos trabalhos de preparação histórica do Corpo Expedicionário Português, falecendo no ano seguinte.

Da sua folha de matrícula constam oito louvores, que lhe foram concedidos ao longo da sua carreira militar, sendo comum a todos eles a “competência profissional e absoluta lealdade às instituições”.

Foi agraciado com os graus de Grã-Cruz, Grande Oficial, Oficial e Cavaleiro da Ordem de São Bento de Avis, Comendador da Ordem Militar de Torre e Espada de Valor, Lealdade e Mérito, Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo, Comendador da Legião de Honra (atribuído pelo governo francês), Comendador da Ordem da Coroa de Itália (atribuída pelo rei de Itália), Grã-Cruz da Ordem Militar de Espanha e Commender of the Bath (atribuído pelo rei de Inglaterra). Foi também condecorado com as Medalhas Militares de Ouro e Prata de Comportamento Exemplar, Medalhas Militares de Ouro e Prata da Classe de Bons Serviços, Cruz Vermelha de Mérito e Cruz de Mérito de Guerra Italiana e Medalha de 2ª Classe de Solidariedad do Panamá.

O seu nome faz parte da Toponímia de: Viseu (*) (Freguesia de Ranhados, Acta da reunião ordinária da Câmara Municipal de Viseu, realizada no dia 25 de Novembro de 2010).

Fonte: “Os Generais do Exército Português”, (III Volume, I Tomo, Coordenação do Coronel António José Pereira da Costa, Biblioteca do Exército, Pág. 182, 183 e 184).

Fonte. “Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira” (Volume 13, Pág. 265)

Fonte: “Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, Vol. 24, Pág. 354 e 355”

Fonte: “Parlamentares e Ministros da 1ª República (1910-1926); Coordenação de A. H. Oliveira Marques, Colecção Parlamento; Edições Afrontamento, Pág. 363”.

Advertisements

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: