Joly Braga Santos, se fosse vivo, faria hoje 92 anos de idade.

 

Joly Braga Santos, o “Compositor de seis Sinfonias”, aqui lembrado no dia em que faria 92 anos de idade.

 

JolyJosé Manuel JOLY BRAGA SANTOS, Compositor e Chefe de Orquestra, natural de Lisboa, nasceu a 14-05-1924 e faleceu a 18-07-1988. Compositor, Director de Orquestra, Crítico e Professor. Estudou Violino e Piano no Conservatório Nacional a partir de 1936, ingressando no Curso Superior da mesma instituição, em 1941. Ao mesmo tempo, estudou Composição e Ciências Musicais a título particular com Luís de Freitas Branco. As suas primeiras obras (Nocturno em mi, para Violino e Piano) datam deste período. A primeira obra sinfónica foi composta em 1946, após ter escrito várias obras de música de câmara.

Em 1947, depois da estreia da Abertura Sinfónica I no Teatro Nacional de São Carlos, foi convidado a ingressar no Gabinete de Estudos Musicais da Emissora Nacional como colaborador fixo, vivendo exclusivamente da actividade de compositor para esta instituição até à extinção do Gabinete em 1954.

Frequentou o Curso Internacional de Direcção com Hermann Scherchen em Veneza, em 1948, por ocasião da Bienal, estudando, posteriormente, com o mesmo Maestro na Suíça, em 1957 e 1958.

Entre 1959 e 1961, estudou Composição com Virgílio Mortari em Roma. Em 1961 inicoou a actividade de Maestro Assistente de captação na Emissora Nacional, onde trabalhou com Álvaro Cassuto, entre outros.

Teve um importante papel na mobilização da população juvenil nos finais dos anos 40, factor essencial para a formação da Juventude Musical Portuguesa. Em 1950, inspirado pelo Congresso das Juventudes Musicais realizado em Portugal, compôs a 4ª Sinfonia, dedicada à Juventude Musical Portuguesa, que termina com um «Hino à Juventude», simbolizando, na sua óptica, a união dos jovens de todo o Mundo através da Música. Teve uma intensa actividade como Director de Orquestra.

Estreou-se em 1950 na Orquestra Sinfónica da Emissora Nacional, num Concerto organizado pela Juventude Musical Portuguesa e deu sempre preponderância à música contemporânea.

Foi responsável pelas estreias em Portugal de obras de Penderecki, Ginastera, Cassuto e Jorge Peixinho. Na década de 1960 restringiu a Direcção de Orquestra às obras da sua autoria, tendo, entre 1968 e 1978, interrompido essa actividade. O último concerto sinfónico que rwalizou foi em 1978 (4ª Sinfónia).

Foi crítico na revista Arte Musical, em 1942, nos jornais O Século, no final dos anos 40 e anos 50, Diário da Manhã, nos anos 50, Diário de Notícias, Época, nos anos 70 e na revista Panorama, entre 1967 e 1972.

Realizou conferências no âmbito da acção divulgadora da Juventude Musical Portuguesa e nos Cursos de Iniciação à Música Contemporânea da Fundação Calouste Gulbenkian. A partir de 1970, colaborou como Compositor, Conferencista e Redactor de Programas nos Festivais de Música de Cuenca, Granada e Sevilha. Integrou a Comissão Orientadora de Reforma do Conservatório Nacional, entre 1972-1974, responsável pela reformulação da disciplina de Educação Musical. Nessa instituição foi Professor de Análise e de Composição, entre 1972 e 1976.

Regressou ao mesmo estabelecimento de ensino em 1987, onde permaneceu até falecer.

A sua obra pode dividir-se em duas fases. Da primeira, são característicos os elementos melódicos e harmónicos modais e uma estruturação que privilegia as formas clássicas (sonata, variação e suite). Os pontos de repouso são ainda assinalados por consonâncias e o tipo de construção cíclica é utilizado como elemento unificador. Nesta fase é notória a influência de Luís de Freitas Branco. No entanto, demarcou-se quer nos aspectos métricos e rítmicos, utilizando uma dinâmica masi vincada e incisiva, quer na orquestração densa e particularmente diversificada, resultado do alargamento dos naipes das madeiras e das percussões.

Foi ainda finfluenciado pelas melodias da música tradicional do Alentejo, que utilizou nos processos de génese temática, e pela gradiosidade da paisagem alentejana, que inspirou a imponente orquestração.

No final dos anos 50 iniciou-se uma progressiva transformação no seu estilo musical: em Três esboços sinfónicos (1962) e Sinfonieta (1963) a construºão melódica oscila entre o cromatismo e o diatonismo.

A sua obra teve uma boa recepção, tanto em Portugal como no estrangeiro, onde a acção de divulgador de Silva Pereira foi determinante a partir dos anos 60.

Criou um idioma próprio, com um intuito universalista, absorvendo as influências das músicas do seu País sem perder o sentido de expressividade e de comunicabilidade necessário à vontade de escrever para o público do seu tempo. Conseguiu em grande parte cumprir o que considerou ser o seu objectivo: ser um profissional da composição em Portugal.

Foi condecorado com a Ordem de Santiago da Espada por «Mérito Artístico».

O seu nome faz parte da Toponímia de: Almada (Freguesia da Charneca de Caparica), Amadora, Lisboa (Freguesia de São Domingos de Benfica, Edital de 09-12-1988, ex-Rua 2 à Estrada da Luz), Moita (Freguesia de Alhos Vedros), Odivelas (Freguesia de Famões), Oeiras (Freguesia de Carnaxide), Seixal (Freguesia de Amora), e Setúbal (Azeitão).

Fonte: “Enciclopédia da Música em Portugal no Século XX” (Direcção de Salwa Castelo-Branco, 4º Volume, P-Z, Pág. 1174 e 1175,  Temas e Debates, Círculo de Leitores)

Fonte: “Homens e Mulheres Vinculados às Terras de Almada, Nas Artes, nas Letras e nas Ciências” (De Romeu Correia, Edição da Câmara Municipal de Almada, 1978, Pág. 83 e 84)

Fonte: “Quem É Quem, Portugueses Célebres”, (Círculo de Leitores, Coordenação de Leonel de Oliveira, Edição de 2008, Pág. 471).

Advertisements

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: