“A Estação de Correios dos Restauradores, foi inaugurada há 77 anos”

CTTA Estação de Correios dos Restauradores, uma das mais conhecidas Estações de Correios da Cidade de Lisboa, funciona num edifício que foi residência do Industrial Policarpo Anjos e, por isso, era conhecido por “Palácio Anjos”.

 

CTT - RestauradoresA 10 de Junho de 1939, foi inaugurada, pelo Ministro das Obras Públicas e Comunicações, Engº Duarte Pacheco, a Estação de Correios e Telégrafos dos Restauradores, no antigo Palácio Anjos, em Lisboa.

Projectada pelo Arquitecto Adelino Nunes, teve como seu primeiro Chefe de Estação, o Sr. Diamantino Martins Vargas.

Contudo, antes desta Estação de Correios e Telégrafos, já havia uma outra, na parte superior da Estação do Rossio, que continuou ainda, durante algum tempo, após a inauguração da nova Estação.

 

Não sei se Policarpo Anjos, comprou ou herdou o “Palácio Anjos”, mas sei que além deste tinha outros “Palácios”, como o que ainda existe, em Algés, onde está o Centro Cultural Manuel de Brito.

Aqui ficam alguns traços biográficos de Policarpo Anjos.

 

POLICARPO José Lopes dos ANJOS, nasceu na Sertã, em 1820, e faleceu em Lisboa, em 1886. Veio para a capital aos 14 anos de idade, encentando então a sua vida comercial. Foi sócio da Casa Anjos & Companhia e fundou a Fábrica Anjos em Alcântara, produtora de artigos genuinamente nacionais. Elevou-se rapidamente ao conceito público e recebeu vários primeiros prémios nas diferentes exposições industriais a que se apresentou: Porto, em 1861; Lisboa, em 1863; Paris, em 1867; Viena de Áustria, em 1873.

No biénio de 1864-1865, em tempos difíceis, aceitou o cargo de Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Entre os serviços então prestados ao Município contam-se a oferta do primeiro varredor mecânico, que comprou à sua custa, a primeira bomba de vapor adquirida por sua iniciativa, a colocação do gradeamento de S. Pedro de Alcântara, etc.

Foi também membro do Conselho do Distrito. Dedicou-se a actos de filantropia, protegeu muito instituições de caridade, tais como o Asilo para Raparigas Abandonadas, o Albergue Nocturno, etc., e, por ocasião das inundações que em 1875 assolaram o País, foi eleito Vogal e Tesoureiro da Comissão de Socorros, não se poupando a sacrifícios e fadigas para bem desempenhar o seu propósito.

Em recompensa de tais serviços foi feito fidalgo da Casa Real e Comendador de Cristo e de Nossa Senhora da Conceição.

Fonte. “Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira” (Volume 2, Pág. 742)

Fonte: “Quem É Quem”, (Portugueses Célebres, Círculo de Leitores, Edição de 2008, Pág. 50).

Fonte: “Boletim  da Junta de Província da Estremadura de 1939”

Anúncios

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: