“PAIS e FILHOS (à moda antiga); isto é: Pais também engloba Mães, Filhos e Filhas, na Toponímia”.

Fernanda de Castro e António Quadros, Mãe e Filho, na Toponímia dos Municípios de: Cascais, Lisboa e Oeiras.

 

Belém 1828Maria FERNANDA Teles DE CASTRO e Quadros Ferro, Escrutira, natural de Lisboa, nasceu a 08-12-1900 e faleceu a 19-12-1994. Filha de um Oficial da Marinha, ficou órfão de mãe aos 12 anos de idade. Estudou em Portimão, Figueira da Foz e Lisboa, tendo frequentado, nesta cidade, os Liceus D. Maria Pia e Passos Manuel. Foi esposa e colaboradora do jornalista António Ferro. Fundou a Associação Nacional dos Parques Infantis.

Publicou romances como “O Veneno do Sol”, (1928), novelas infantis como “As Aventuras de Mariazinha”, (1935), e “Mariazinha em África”, (1959), peças de teatro (algumas delas representadas com grande êxito, como “Náufragos”, (1925), e “Pedra do Lago”, (1942)), e principalmente poemas, tendo-se estreado com “Antemanhã” (1919).

Outros livros de poesia: “Danças de Roda” (1921), “Jardim” (1928), “Daquém e dalém-alma” (1935), “Exílio” (1952), “Altar sem Culto” (1954), “Asa no Espaço” (1955), “Poesia I e II (Prémio Nacional de Poesia em 1969), e “Urgencia” (1989). A sua poesia evoca os sonhos e ambições que quebram a rotina da vida, e, na última fase da sua produção, celebra o passado vivido com afecto e grandeza. Publicou ainda “Ao Fim da Memória: Memórias” (1906-1939-1936). Era avó da Escritora Rita Ferro.

O seu nome faz parte da Toponímia de: Almada (Freguesia da Charneca de Caparica);  Cascais (Freguesia de São Domingos de Rana); Lisboa (Freguesia de Belém, Edital de 30-07-1999); Oeiras (Freguesia de Porto Salvo); Seixal (Freguesia da Amora); Sintra (Freguesia de Algueirão-Mem Martins).

Fonte: “Dicionário Cronológico de Autores Portugueses”, (Vol. IV, Organizado pelo Instituto do Livro e das Bibliotecas, Coordenado por Ilídio Rocha, Publicações Europa América, Março de 1998, Pág. 52 e 53)

Fonte: “Quem É Quem, Portugueses Célebres”, (Círculo de Leitores, Coordenação de Leonel de Oliveira, Edição de 2008, Pág. 139).

 

Lumiar 1344ANTÓNIO Gabriel de QUADROS Ferro, Escritor e Pensador português, natural de Lisboa, nasceu a 14-07-1923 e faleceu a 21-03-1994. Era filho do Jornalista António Joaquim Tavares Ferro e da Escritora Maria Fernanda Teles Castro e Quadros. Licenciou-se em Ciências Histórico-Filosóficas.

Foi fundador e director do Instituto de Artes e Design (IADE), em Lisboa, onde foi, também Professor, funções que exerceu com largo espírito liberal, e a Sociedade Portuguesa de Escritores. Foi director das revistas Acto, 57 e Espiral, nos anos 50. Influenciado por Leonardo Coimbra, esteve ligado ao movimento da chamada »filosofia portuguesa«. Romancista, poeta e ensaísta, distingui-se sobretudo nesta última área com os estudos sobre filosofia, história, figuras e mitos importantes da cultura portuguesa (como o sebastianismo), analisados numa persprctiva especulativa, pontuada por um certo misticismo. Um dos temas que mais atenção lhe mereceram foi o da vida e obra de Fernando Pessoa, que muito o marcou.

Estreou-se, em 1947, com o ensaio »Modernos de Ontem e Hoje«. Trabalhou no Serviço de Bibliotecas Itinerantes da Fundação Calouste Gulbenkian (1958-1981); foi Professor de Deontologia de Comunicação, na Universidade Católica de Lisboa; membro fundador e dirigente da extinta Sociedade Portuguesa de Escritores (1957-1959) e Vice-Presidente da Fundação Lusíada; pertenceu à direcção do Círculo Eça de Queirós; participou de inúmeros congressos e simpósios, no País e no estrangeiro; fez parte da comissão organizadora da Associação portuguesa de Escritores; foi sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa (Classe de Letras), sócio efectivo da Academia Internacional de Cultura Portuguesa e sócio efectivo e perpétuo da Academia Brasileira de Filosofia. Foi condecorado com a Ordem Britânica da Rainha Vitória. Tradicionalmente conotado com as teses sebastianistas do «Quinto Império» e genuinamente preocupado com «uma ideia de Portugal», a sua obra impo-se pelo carácter especulativo e tolerante.

Obras principais: Pensamento e teroria da cultura: A Aungústia do Nosso Tempo e a Crise da Universidade, (1956); O Movimento do Homem, (1963); A Teoria da História em Portugal, (2 volumes, 1967-1968); Introdução à Filosofia da História, (1982); Poesia e Filosofia do Mito Sebastianista, (Prémio de Ensaio da Câmara Municipal de Lisboa, 2 volumes, 1982-1983); Uma Arqueologia de Tradição Portuguesa, (1º volume de Portugal, razaão e Mistério, 1986); O Projecto Áureo ou o Império do espírito Santo, (2º volume, 1987); A Filosofia Portuguesa, de Bruno à Geração de 1857, (1987); O Primeiro Modernismo Português, 81989); A Ideia de Portugal na Literatura Portuguesa dos Últimos 100 anos, (1989); Memória das Origens, Saudade do Futuro, (1992). História e Filosofia Política: Portugal, entre Ontem e Amanhã, (1970); A Arte de Continuar Português, 81978). Ensaio Literário: Modernos de Ontem e de Hohe, (1947); Crítica e Verdade, (1957); A Existência Literária, (1959); Ficção e Espírito, (1971); Estruturas Simbólicas do Imaginário na Literatura Portuguesa, (1992). Ensaio de Estética: Introdução a uma Estética Existencial, (1954); Carlos Botelho, (1965). Ficção: Anjo Branco, Anjo Negro, (1960); Histórias do Tempo de Deus, (Prémios Ricaedo Malheiros e de Novelística, 1965). Contos Infantis: Pedro e o Mágico, (Prémio Nacional de Literatura Infantil, 1973). Poesia: Além da Noite, (1949); Viagem Desconhecida, (1952); Imitação do Homem, (1966); Ó Portugal, Ser Profundo, (1980); Trovas Para o Menino Imperador do Espírito Santo, (1991). Monografia: Fernando Pessoa, (1960, a 4ª edição, refeita em 1992, obteve o Prémio de Ensaio da Câmara Municipal de Lisboa); António Ferro, (1963); Leonardo Coimbra e os Seus Discípulos, (1988). Reportagem: Uma Viagem à Rússia, (1969). Crónica: Franco-Atirador, (1970).

O seu nome faz parte da Toponímia de: Almada (Cidade de Almada e Freguesia da Charneca de Caparica); Amadora; Cascais; Lisboa (Freguesia do Lumiar); Oreiras (Freguesia de Barcarena); Sesimbra.

Fonte: “Dicionário Cronológico de Autores Portugueses”, (Vol. V, Publicações Europa América, Organizado pelo Instituto Português do Livro e das Bibliotecas, Coordenação de Ilídio Rocha, Edição de Julho de 200, Pág. 292, 293, 294 e 295)

Fonte: “Quem É Quem, Portugueses Célebres”, (Círculo de Leitores, Coordenação de Leonel de Oliveira, Edição de 2008, Pág. 434).

Advertisements

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: