Ao passar na Rua do Carmo, em Lisboa, já muita gente terá reparado num “Calhambeque” transformado em Discoteca (à moda antiga; isto é: lugar onde se vendiam discos). Em jeito de homenagem, aqui ficam alguns dados biográficos do seu proprietário.

 

FadoMANUEL SIMÕES, Editor Discográfico, nasceu em Pedrógão Grande, a 09-05-1917, e faleceu em Lisboa, a 27-08-2008. O Editor Discográfico Manuel Simões, que lançou nomes do fado como Alfredo Marceneiro e Anita Guerreiro, morreu ontem, aos 91 anos, em Lisboa, anunciou a Associação Portuguesa dos Amigos do Fado.

Manuel Simões fez a Instrução Primária, e em 1929, como muitos jovens da época, veio para Lisboa procurar melhores condições de vida. Encanta-se de imediato pelo bulício da cidade, a sua peculiar luz e o grande Tejo.

Manuel Simões trabalhou no Comércio, mas sentia vontade de saber mais, uma característica que o acompanhou toda a vida. Percebendo que tinha de ganhar mais competências, matriculou-se no curso noturno da Escola Ferreira Borges que funcionava então no Liceu Passos Manuel, nas Mercês. Neste percurso académico, António Carreira que foi seu Professor de Matemática, uma das suas disciplinas favoritas, exerceu uma enorme influência no jovem que, aos 17 anos, se tornou Empresário, apesar da firma ter ficado em nome do pai, pois à luz da legislação coeva era menor, e teve de esperar pela emancipação aos 18 anos.

Natural de Pedrógão Grande, Manuel Simões tornou-se Empresário em 1934, tendo inaugurado a sua própria fábrica de discos na década de 1950, em Vila Franca de Xira. Francisco José, Maria de Lourdes Resende, Tristão da Silva, Berta Cardoso, Casimiro Ramos, Maria José da Guia, maestro Belo Marques, Argentina Santos, Alfredo Marceneiro, Anita Guerreiro, Manuel Fernandes, José António, Maria Antonieta e Manuel de Almeida foram alguns dos artistas que editou.

A partir dos anos 60, Manuel Simões dedicou-se praticamente, em exclusivo, ao comércio a retalho de discos, na Discoteca do Carmo, em Lisboa, já desactivada. Era proprietário de uma loja de discos vocacionada para o fado, na Rua do Ouro, e do Calhambeque que se tornou ícone turístico na Rua do Carmo.

À gravação de discos, Manuel Simões regressou nos anos 90, designadamente com conjuntos de guitarras liderados por Arménio de Melo e Paulo Parreira.

Fonte: “Blog Fadocanto”

Fonte: “Jornal Blitz”

Fonte: “Fundação Manuel Simões”

Advertisements

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: