Os C.T.T., com este ou com outros nomes que foram tendo ao longo dos anos, tiveram, para o seu prestígio e engrandecimento, a contribuição de muitas pessoas. São essas pessoas que, dentro da medida do possível, pretendo dar a conhecer.

cavalo-dos-ctt-antigoARTUR Arsénio de Oliveira MOREIRA, Tenente-Coronel de Engenharia; Administrador-Geral dos Correios e Telégrafos, exerceu o cargo de 22 de Junho de 1928 a 10 de Maio de 1930.

Artur Arsénio de Oliveira Moreira, nasceu em Lagos, em 1884, mas viveu em Monchique, onde foi proprietário e autarca, e onde faleceu em 1968.

Foi Capitão de Engenharia, em França, na 3ª Companhia de Sapadores e tomou parte na Batalha de La Lys. Comandou depois algumas Unidades Militares, nomeadamente o Regimento de Engenharia.

Durante a administração deste alto funcionário publicaram-se os diplomas seguintes:

Estabelecimento temporário do lugar de Administrador-Adjunto (decreto de 22 de Junho de 1928).

Condições para a admissão de Telefonistas (decreto de 22 de Dezembro de 1928). Alteração das bases que devem ser mantidas as relações entre as Administrações Postais da Metrópole e das Províncias Ultramarinas (decreto de 27 de Março de 1929).

Criação da categoria de funcionários denominada manipuladores auxiliares (decreto de 30 de Maio de 1929).

Alteração da constituição do Conselho Disciplinar (decreto de 04 de Julho de 1929).

Cessação das licenças para a emissão de selos comemorativos reputados prejudiciais aos interesses da Administração-Geral dos Correios e Telégrafos (decreto de 25 de Novembro de 1929).

Disposição sobre o monopólio dos serviços T.S.F. nas suas diferentes modalidades (decreto de 27 de Janeiro de 1930).

Constituição do Conselho de Rádio-Electricidade (decreto de 22 de Fevereiro de 1930).

A Administração dos Correios e Telégrafos perdeu por esta ocasião os Serviços de Fiscalização de Indústria Eléctricas, que criara e desenvolvera, durante quase 40 anos, e que constituiam uma das suas apreciáveis receitas; transferiu-os o decreto de 28 de Janeiro de 1930 para a Administração Geral dos Serviços Hidráulicos. Também se extinguiu a Secção de Engenharia Civil, pela passagem de todas as obras de construção civil da Administração-Geral dos Correios e Telégramos para a Direcção dos Edifícios e Monumentos Nacionais (decreto de 07 de Março de 1930).

O desenvolvimento da rede telefónica nacional mereceu especial atenção. Ainda nesta gerência se elebortou o Decreto, que veio a ser assinado em 06 de Junho de 1930, pelo qual o Governo foi autorizado a contrair um empréstimo de 24.000 contos na Caixa Geral de Depósitos; 20.000 para a ampliação e remodelação das redes telegráficas e telefónicas urbanas e inter-urbanas e 4.000 para a aquisição e instalação de estações rádio-eléctricas.

Publicou-se em Janeiro de 1930 um relatório da Administração nos 18 meses anteriores, que se torna digno de referência especial, não tanto pelo desenvolviemto dado à matéria, mas pela louvável intenção de estabelecer o princípio, aliás corrente em todas as Administrações estrangeiras, de se publicarem relatórios da vida técnica e económica da colectividade.

Fonte: “AHM – Arquivo Histórico Militar”

Fonte: “Dos Correios-Mores do Reino aos Administradores Gerais dos Correios e Telégrafos”, (De Godofredo Ferreira, 2ª Edição, revista e aumentada, Lisboa, 1963)

Fonte: “Velhos Papéis do Correio”, (de Godofredo Ferreira, Editado pelos CTT, Edição de 1949)

Anúncios

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: