No dia em que o Cineasta José Fonseca e Costa faria 84 anos de idade, deixamos aqui esta pequena homenagem

 

Fonseca e CostaJOSÉ FONSECA E COSTA, realizador, nasceu em Caala (Angola), a 27-06-1933, e faleceu no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, a 01-11-2015. Frequentou a Escola Primária na Caala, iniciou o Liceu em Huambo, mas veio para Lisboa, aos 11 anos de idade, onde terminou o Curso Liceal (Liceu Camões; Escola Lusitânia e Colégio Académico são alguns dos estabelecimentos de ensino por onde passou.

Mais tarde ingressou na Faculdade de Direito, não tendo chegado a concluir o Curso. Começou a interessar-se pelo cinema desde jovem e fez-se sócio do Cineclube Imagem. Nos finais da década de 50, desenvolveu actividade política clandestina, tendo sido preso pela PIDE em 1957. Tentou entar para a RTP, mas, por razões políticas, o cargo de assistente de realização foi-lhe recusado. Começou a fazer estadas em Paris, onde frequentou a Cinemateca, travando conhecimento com alguns críticos dos Cahiers du Cinéma: Kast, Doniol-Valcroze, Chabrol, entre outros.

Em 1959, tentou, em vão, pôr de pé um filme adaptado do livro “Um Anjo Ancorado”, de José Cardoso Pires.

Em 1961, partiu para Itália, onde estagiou com Antonioni, na rodagem de “O Eclipse”. De regresso a Portugal, começou a realizar pequenos filmes publicitários e documentários: “Era o Vento e o Mar” (1966), “Regresso á Terra do Sol” (1967), e a “Cidade” (1968), entre tantos outros.

Em 1967, fundou a Unifilme, onde trabalhou até 1973. Crítico de cinema, colaborou em publicações como a »Imagem« e a »Seara Nova«.

Mas foi como realizador de longas-metragens que Fonseca e Costa se consagrou como figura de proa do panorama cinematográfico português. A sua filmografia inclui. “O Recado” (1971), “Os Demónios de Alcácer-Quibir” (1975), “Kilas o Mau da Fita” (1980), “Sem Sombra de Pecado” (1982), “A Balada da Praia dos Cães” (1986), “A Mulher do Próximo” (1988), “Os Cornos de Cronos” (1990), e “Cinco Dias Cinco Noites” (1996).

Fonte: “Quem É Quem, Portugueses Célebres”, (Círculo de Leitores, Coordenação de Leonel de Oliveira, Edição de 2008, Pág. 170).

Fonte: “Dicionário do Cinema Português 1962-1988”, (de Jorge Leitão Ramos, Edições Caminho, Lisboa 1989, Pág. 106, 107 e 108)

Anúncios

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: